Não deixe para depois

Hoje em dia, cultura e inteligência são coisas para depois da aposentadoria. Quando todas as decisões estiverem tomadas, quando a massa de seus efeitos tiver se adensado numa torrente irreversível e a existência entrar decisivamente na sua etapa final de declínio, aí o cidadão pensará em adquirir conhecimento - um conhecimento que a essa altura só poderá servir para lhe informar o que deveria ter feito e não fez.

Essa realidade descrita por Olavo de Carvalho se aplica ao conhecimento Bíblico, se é que podemos categorizar como separado do conhecimento do "mundo". Sempre deixamos o exame das palavras Bíblicas para depois, para mais tarde, procrastinamos! O que deveria ser Guia se torna consulta.


Devemos pensar antes de tomar as decisões, analisar antes de comprar, pensar antes de falar...

A Bíblia não é um conjunto de regras, o que pode o que não, é a palavra de Deus nos ensinando a viver, ensinando o caminho, a verdade e a vida! Se a palavra Bíblica ficar restrita a um mero conhecimento próprio e não for aplicada à sociedade, é vã.

Certa vez, durante uma aula, a professora Micaely de Arruda Ribeiro alertou a todos sobre a procrastinação - o ato do deixar para depois, ou inverter as prioridades (fazer o supérfluo ao essencial). Não devemos cometer esse erro - aqui aplico à vida, não apenas ao conhecimento de Deus.


Deus se preocupou em nos ensinar a viver. Em toda a Bíblia temos nota disso. O salmista pede a Deus, o pensador orienta, os insensatos desprezam... e nós, o que faremos?

... que possamos fazer o que pensamos, dedicar-se como devemos; não apenas soltar palavras ao vento. Que Deus abra o nosso entendimento. Vivamos plenamente em Jesus.


O homem que encontra a sabedoria e descobre a verdade é um homem feliz! (Pv 3:13 [VIVA]) 

Ensina-me a tomar decisões e a aplicar bem a tua sabedoria pois confio plenamente nas tuas regras para o comportamento do homem. (Sl 119:66 [VIVA])



Por: Félix Martins Lírio