Pode um gay ser Cristão?



Começo fazendo algumas ponderações necessárias: não é um artigo cientifico; nem uma afronta aos homossexuais; nem para autopromoção ou polêmica; o comportamento humano não é determinado geneticamente.


Numa manhã, meditando acerca da graça, em conversa com minha esposa durante o café da manhã, surgiu a pergunta: pode um gay ser cristão?


No momento me vieram à mente muitas discussões sobre homossexualidade e comportamento – e cristianismo (embarcado na religiosidade). Polêmicas. Quando convém um lado levanta hipóteses (genéticas ou não), o outro cita livros e outros estudos que contradizem a sua visão, que tem até mais base. Isso é ‘charlatanice’, rebatem.


Esse debate sem fim é uma simplificação equivocada das questões em torno de lutas ativistas: pró homossexuais e pró religiosos. Ambas erradas e apelativas. Esse texto não é sobre essa discussão externa. Há muito material de ambos os lados – um mais apelativo que outro e alguns sérios - defendendo o ponto de vista. Alguns procuram de qualquer maneira disseminar o pensamento ateísta pegando carona na ciência, que acerca deste assunto não é conclusivo.


A mais contundente discussão virtual sobre o assunto (de que tenho conhecimento) envolve o Pastor Silas Malafaia em seu posicionamento que ninguém nasce gay (não é um fator genético) e o geneticista Eli Vieira.


Resumindo, a argumentação de Eli Vieira nasce do argumento de que na verdade ‘Há diferentes estudos propondo bases genéticas para a homossexualidade e razões evolutivas para seu surgimento’, ou seja, são estudos com propostas e não fatos científicos […] e por fim ‘…os geneticistas já sabem que é inadequado dizer que existem genes ‘PARA’ estas características’. Ele confirma o que Silas (cientificamente ou não) disse. Tudo está ainda no campo da teoria”, escreveu.


Criado esse pano de fundo, vamos ao que procuro abordar aqui.


Não é um artigo para acusar ou gerar mais um infinito debate sobre não nascer gay, em ser fator comportamental ou não, e sim ao fato de pessoas desejarem a Cristo – ressalto.


Todos possuem um anelo a eternidade. A maior parte da população teve um breve conhecimento sobre teologia, alguns de modo leigo. É difícil hoje achar alguém que não saiba uma base da narrativa histórico-bíblica.


O que impede uma pessoa que se define como homossexual e reconhece a necessidade de um salvador de ser cristão? Não digo frequentar uma igreja apenas.


Se um mentiroso, um adúltero, um irado, um lascivo, assassino, eu e você pode, por que um gay não? Quando reconhecemos nossa incapacidade de salvação e a vemos no sacrifício de Cristo, lutamos diariamente com o auxílio do espírito Santo para ser melhor a cada dia.


Seria você o justo juiz para esta causa de quem é digno e quem não? Presunção.
(Se você ainda não leu, clique aqui e acesse o texto que aborda sobre diferenciação de qual pecado é maior).


Deus não faz acepção de pessoas. Não é a frequência em uma instituição que garante uma pessoa ser cristã. Lutamos diariamente contra os nossos pecados. É assim, foi assim e será assim até a completa regeneração com a vida eterna.


Ser gay ou ser adúltero, ou mentiroso, etc., não exime a necessidade de reconhecimento e salvação.



Sim, pode um homossexual que reconhece a necessidade de salvação e luta contra o pecado ser Cristão. O que não pode é um adúltero frequentador de igreja, um mentiroso frequentador de igreja, etc, ser salvo por ter um pecado, erro diferente, ser de fato cristão.


______  Pós escrito de atualização.

Teu pecado é menor do que o deles? O sacrifício de Jesus é suficiente para o perdão. A Bíblia não fala que o perdão é para apenas o nosso pecado de estimação... ira... discórdia... também não faz acepção de pessoas. Não defendo nenhum pecado. A diferença entre um assassino que se arrependeu para um gay que reconhece seu pecado é nenhuma. Há várias pessoas que foram homossexuais antes de conhecer a Jesus.
______




Por Félix M. Lírio